Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2016

O peso dos 30´s

Ontem tive uma festa de aniversário de crianças. A festa foi no final do dia e acabou (pelo menos para mim que fui das primeiras a abandonar) perto da meia noite. Quando cheguei a casa ainda tive de preparar umas coisas para o dia de hoje. Dormi pouco mais de 5 horas e hoje às sete já estava novamente a pé.  Se outrora o excesso de sono que pudesse existir nas primeiras horas da manhã se ia embora com um ou dois cafés, hoje em dia a coisa já não é bem assim... Já me ando a arrastar de um lado para o outro, a cabeça já fica pesada, os olhos parece que picam e que tem vida própria e os pensamentos são constantemente invadidos por imagens de sofás, camas e mantinhas quentinhas e aconchegantes.  Eu que sempre fui habituada a lidar com noites mal dormidas (malditas insónias) ou com poucas horas de sono, hoje em dia a coisa está a tornar-se mais difícil. Hoje em dia já faço as contas ao número de horas que vou dormir quando me falam em fazer qualquer coisa à noite (e não precisa de ser &qu…

Ver o copo meio cheio

Posso não ter nem metade das compras de Natal tratadas mas já comprei doze metros de um papel de embrulho todo bonito para as embrulhar a todas (mesmo as que ainda não comprei!).

Vou marcar uma consulta com o Freud

Devo mesmo estar a precisar de viajar. Se a semana passada sonhei que estava de viajem por Nova York com os amigos, este fim-de-semana sonhei que estava pelo Japão. Se isto não é o meu inconsciente a dar-me pistas de uma necessidade urgente então não sei como interpretar isto!

Assunto: prendas de Natal

Sexta-feira, tal como toda a gente sabe (e mesmo quem não sabia rapidamente se deve ter apercebido) foi a Black-Friday e eu, como não trabalhei de manhã, aproveitei para ver se começava já a despachar algumas prendas de Natal. Começo a ver o Natal a aproximar-se a passos largos e eu não tinha ainda nada comprado. Muni-me da coragem que é necessária para este assunto e atirei-me com toda a força e empenho ao Centro Comercial do costume (acho que não fui corajosa o suficiente porque quando me aproximei da Zara e vi que a fila dava a volta à loja e chegava à porta não tive coragem (nem vontade!) de pôr os pés lá dentro).  Mas isto para dizer o quê: que na sexta-feira já aviei alguns presentes de Natal. O do namorado já está resolvido, o da mãe e irmã do namorado também, o da minha irmã, os dois do meu pai (Natal e aniversário), um para uma amiga (para aniversário), e o do afilhado mais velho (para o aniversário). Estava eu toda contente a pensar que estava bem encaminhada quando começo …

Objeto de desejo da semana

Swarovski
Simples, elegantes e versáteis. O difícil é mesmo escolher.

Christmas tree

Quando uma amiga tua que não liga nada a enfeites nem decorações de Natal te diz que já montou a árvore de Natal à quase 15 dias é sinal que estás a procrastinar no assunto. Hoje tive a noção que falta apenas um mês para o Natal e que eu tenho zero presentes comprados (muitos deles nem faço ainda a mínima ideia do que vou comprar) e em casa não há sinais de Natal. Eu que adoro esta época, eu que ando a contar os dias para o Natal e para espalhar o espírito natalício pela casa ainda não tive tempo de tratar de nada relacionado com este assunto. Chega a esta altura do ano e é sempre um boom de trabalho que me impede de gozar a doçura e o calor do Natal. Mas no fim-de-semana vou arregaçar as mangas e tratar do assunto (e amanhã na Black Friday ver se adianto já alguns presentes).

Desmancha-prazeres

Já é mau acordar de manhã cedo e sair da cama. Pior é ser acordada pelo despertador quando se está a sonhar que se está em viagem por Nova York com os amigos! Se é para ficar ougada prefiro que o sonho fique lá no inconsciente e que eu, inconscientemente, fique muito feliz quando acordo, mesmo que não saiba porquê.

Os anos dourados de estudante universitária

Esta semana voltei à Universidade. À "minha" universidade. Só que desta vez não foi para estudar mas por motivos de trabalho. E nas duas vezes que estive lá fui-me cruzando com vários grupos de estudantes que estavam em praxe. Sem nunca parar, mas também sem acelerar o passo, fui deitando um ouvido àquilo que os diferentes grupos iam cantarolando ou gritando a plenos pulmões por ordem de algum "superior". E digo-vos que os meus ouvidos já estavam esquecidos de tais cantarolas de teor duvidoso (e com letras que metem a Rosinha ou o Quim Barreiros num bolso). Ouvi cada preciosidade que me fez rir enquanto andava sozinha. Ouvi frases que me fizeram lembrar os famosos piropos associados aos senhores das obras. E digo-vos que bateu a saudade... não a saudade de ser praxada ou de praxar (até porque praxei muito pouco. Havia coisas mais interessantes e úteis a fazer) mas saudade de estudar, de voltar àquela universidade, de sentir aquela adrenalina dos prazos, dos exames…

De cara feia com esta gripe

Ontem pus-me a olhar para a minha agenda até ao final do ano e a coisa está agradavelmente caótica. Significa isto que está cheia de trabalho e isto, para quem trabalha como freelancer é sempre uma excelente perspectiva. O que não é assim tão positivo é a gripe que me atacou em força desde ontem. Agora que eu precisava de todas as forças para chegar até ao final do ano sã e salva, de preferência com alguns fusíveis a funcionar em pleno é que sou atacada por esta maldita gripe. Caso para dizer "não havia necessidade!".

Black Friday

Dizem que o Black Friday está quase ai. E o Natal também está quase aí por isso acho que me vou munir de paciência e atacar o shopping nesse dia para ver se despacho já algumas prendas de Natal e ao mesmo tempo poupar uns trocos (quem sabe assim, com o que poupo nas prendas dos outros possa comprar uma prendinha para mim... ah ah ah.). Atendendo a algumas compras que já fiz neste dia em anos anteriores, há alguma expectativa para ver o que encontro (e para saber quais as lojas que aderem).

Stirrup Trouser

Dizem que estão na moda. E eu acho medonho! Já achava há mais de 20 anos atrás quando isto se usava e a minha mãe teimava em convencer-me que isto era uma peça prática e confortável. Mais de 20 anos depois continuo a achar isto medonho: uma espécie de meia-calça só com um calcanhar ou então uma espécie de leggings (que por si só já não são grande coisa) que tem uma meia incorporada. Há peças que não se percebem e esta é uma delas.

Mais um ano e o problema mantêm-se.

Tendo em conta o cenário dos anos anteriores, em que chego ao fim do ano e ando aflita à procura de uma agenda, talvez estivesse na altura de começar a procurar a agenda para 2017. Mas depois começo a pensar que se calhar só lá para Dezembro é que as lojas vão ser invadidas com agendas, que se compro já depois ainda vejo uma mais bonita e funcional e depois arrependo-me de já ter comprado, que ainda falta muito até chegar o novo ano e bla bla bla...  Para muitos a escolha de uma agenda pode ser igual a ir ao supermercado comprar batatas (ou quiçá, ainda mais simples do que comprar batatas) mas para mim é um processo moroso e, por vezes difícil. Não gosto de agendas muito grandes mas preciso de agendas que tenham um dia por página, gosto de agendas com capas bonitas mas ao mesmo tempo que sejam de capa dura, gosto de agendas que sejam funcionais mas não gosto de dar um dinheirão por uma agenda que no ano seguinte vai para o lixo (dar 20/25€ por uma agenda para mim parece-me um absurdo…

Viajar, viajar, viajar

Por aqui já se pensa em qual será o próximo destino de férias do próximo ano. O país já está escolhido, as cidades possíveis também já estão pensadas (só falta decidir se vamos mais para este ou para oeste), o mês também, agora é esperar para ver se dá para conciliar a agenda de 6 pessoas para conseguirmos ir todos juntos. E se conseguirmos vai ser tão bom. Uma viagem com pessoas que tanto gosto, pessoas bem dispostas, pessoas tão diferentes mas com um gosto tão comum: viajar. E eu, para além do Natal, já só penso na próxima viagem.

Que rico serão

O dia chegou ao fim - estender na cama, apagar as luzes e ver séries no computador. Tão bom.
Boa noite.

New in - All Star Chuck Taylor

Eu que passei anos sem comprar sapatilhas, eu que não via outra utilidade para este tipo de calçado que não o desporto, eu que não me perdia por estas coisas dou comigo a gostar cada vez mais de sapatilhas. Acho que com a idade começamos a perceber que o conforto se sobrepõe a muitas coisas. Este ano já comprei dois pares e ainda estou com as Adidas Gazelle no pensamento.
No meu trabalho, em algumas situações tenho de usar um estilo mais formal e nem sempre é conveniente ir de sapatilhas mas fora do trabalho, sou cada vez mais adepta deste conforto.  A minha última aquisição foram estas lindonas - All Star Chuck Taylor.





Já há muito que andava com a ideia de comprar umas All Star. Já tinha tido umas na minha infância e por mais anos que passem continuam sempre atuais, por isso estava inclinada em apostar nas clássicas, com uma cor "usável" com a maioria da roupa (tipo azul marinho, branco, bege, cinza...) mas depois vi estas e a ideia inicial foi-se à vida. Para me ajudar na…

About last weekend

Algumas imagens do casamento do passado fim-de-semana.
Vestido: Purificacion Garcia Clutch e estola em pêlo: Parfois
Sandálias: Louboutin
Espaço: Quinta da Pacheca - Lamego

Afinal gosto de vinho... e não sabia!

Ao longo destes 30 anos da minha existência sempre disse que não gostava de vinho. Na generalidade não sou apreciadora: não gosto de vinho tinto, branco, verde, maduro ou verde, vinho do porto, champagne e outras espécies que tal. Também, verdade seja dita, nunca dei grande oportunidade ao vinho e sou muito resistente a experimentar (quando era mais nova só o cheiro já me causava alguma repulsa). A única coisa que ainda escapa é o Moscatel de Setúbal (se for misturado com 7Up a coisa escorre bem demais...) e Favaios. Depois há as sangrias mas isso já estamos a desvirtuar o conceito de vinho no seu estado puro uma vez que é uma mistura que altera completamente a essência do vinho.
Mas... e há sempre um mas... na passada semana, num jantar que tive a coisa mudou. Muitas pessoas sentadas à mesa, diferentes tipos de vinhos e à minha frente estava uma garrafa de Lambruscorosé (para além de uma garrafa de água que só eu estava a beber). Eu com o meu copinho de água, toda contente e feliz a…

TWAG´s

Ontem, uma colega que também namora com um Eng. informático partilhou comigo e com outra colega esta notícia. No final acrescentou "bem me parecia que tínhamos alguma coisa de top model". E eu acrescentei mais um "pequeno" pormenor - "só falta eles fazerem fortuna...".  Em relação ao estereótipo à volta do pessoal da informática, tenho a dizer-vos que ainda há alguns que se aproveitam. Nem todos usam camisas de flanela ao xadrez metidas por dentro das calças (que regra geral nunca tem o tamanho certo: ou andam a arrastar ou ficam a regar milho), sapatos de vela ou sapatilhas tipo All Star, mochila de duas alças às costas, óculos, muitas espinhas na cara e uma tonalidade de pele de quem não vê a luz do dia à três meses. Conheço alguns homens no mundo da informática bem interessantes. Homens que já perceberam que existe mundo para além dos computadores. Mas fica uma dica, minhas queridas amigas: quem tiver ao seu lado um homem das informáticas nunca o obri…

Objeto de desejo da semana

Adoro, adoro, adoro!
Gosto deste estilo de casacos: compridos, de uma só cor, com um bom corte e uma espécie de roupão mas para andar na rua. Este é de Mango e é perfeito. 

Ainda a propósito do tempo frio

Este fim-de-semana tive um casamento em Lamego, no meio das paisagens soberbas do Douro Vinhateiro em pleno Outono. Contrariando todas as previsões esteve um dia de sol fantástico, uma temperatura bastante agradável para um dia de Novembro. Eu que já me estava a preparar para o pior, para ficar tipo filete de peixe congelado nas prateleiras dos supermercados até me aguentei bem. Com excepção do corte do bolo dos noivos perto da meia noite e no exterior da quinta, onde estavam uns "agradáveis" 4 graus de temperatura que me desencravaram qualquer réstia de pelo encravado que tenha escapado, de resto até se aguentou bem. A minha parelha, que ia de fato (ou seja, muito mais agasalhado do que eu, com apenas um vestido comprido sem mangas e uma estola de pelo pelos ombros), manifestou muito mais frio do que eu ao longo do casamento. Começo a achar que depois do casamento que tive em Maio em que apanhei chuva torrencial, vento e muito frio já não há frio que me pegue, já vou prepa…

Definitivamente chegou o frio

Até agora era uma espécie de tempo indefinido. Ora estava um calor digno de nos esparramarmos numa esplanada a comer um gelado e a lembrar os dias de Verão ora estava assim mais para o fresco e já a precisar de um agasalho mais quente a lembra-nos que já estávamos no Outono (mas um Outono estranho e atípico). Este fim-de-semana foi o corte. Acabaram-se as roupas frescas, acabou-se o sair de casa com uma t-shirt e um casaco. Venham os casacos grossos, os lenços que mais parecem cobertores enrolados ao pescoço, venham as botas quentes, as camisolas de gola e tudo o que houver para nos mantermos quentes. Este fim-de-semana chegaram as temperaturas baixinhas, ali quase a dizer um olá aos 0º (pelo menos pelos sítios por onde andei). E isso deixou-me tão feliz. Não gosto muito daquele tempo que é uma indecisão: não está frio o suficiente para usarmos roupa de Inverno mas também não dá para continuarmos de sandálias e tecidos finos. Este fim-de-semana foi tempo de voltar aos casacos grossos…

É sexta-feira, yeahhh

Bom fim-de-semana para tod@s.
E o meu vai ser super preenchido. Que S. Pedro seja generoso e deixe a chuva em stand-by por mais dois dias que eu tenho um casamento amanhã e possivelmente uma ida ao futebol no Domingo e sempre é mais agradável se não estiver a chover.

E na hora de escolher um presente para a cara-metade?

Outro dia estava eu a tomar o pequeno-almoço só rodeada de mulheres e começamos a falar da habilidade (ou falta dela) que as nossas caras-metade tinham para acertar nas prendas que nos ofereciam. Estávamos sete mulheres à mesa, três delas casadas, três com namorado e uma atualmente solteira e a conversa foi de rir. A maioria delas queixava-se que por mais pistas que fosse dando ao respetivo ele nunca acertava.  Uma dizia que já tinha desistido de dar indiretas e que já estava ao ponto de pedir exactamente o que queria e, no limite, ir com ele à loja para que não houvesse a mínima probabilidade de haver erro. A outra dizia que pouquíssimas eram as prendas que não tinha de ir trocar a seguir. Outra dizia que teve um namorado que uma altura lhe deu um relógio em prateado e como ela gostou, na vez seguinte deu-lhe exactamente o mesmo relógio mas em dourado (o problema é que ela já não era assim tão fá de dourado). Só uma é que dizia que não tinha motivo de queixa porque o marido lá ia ac…

Objeto de desejo da semana

Pulseira Escrava
Com o Natal ai ao virar da esquina, aqui está uma excelente ideia para um presente. Eu pelo menos ficava muito satisfeita com uma pulseira destas no sapatinho (melhor só o belo do sapatinho vir junto à pulseira). Acho muita piada a este tipo de pulseiras e ficam muito elegantes em qualquer situação.

Instagram

Blogs que leio